Liderança, autoridade, descontração e disciplina no trabalho.

Dentro do ambiente de trabalho, o equilíbrio é a chave para que os profissionais possam desempenhar suas atividades com seriedade, produtividade e desempenho, mas sem ficar enjoados, enfadados ou estressados pela rotina do dia a dia. Para que isso seja possível, líderes e gestores precisam ter bastante cuidado e controle de tudo o que acontece em relação aos seus subordinados em seus respectivos setores.

Neste texto, você poderá saber um pouco mais sobre estas relações e atividades dentro de um clima organizacional e como manter os profissionais em uma linha saudável de convivência. Confira!

Há muitos anos, empresários e gestores de Recursos Humanos acreditavam que o ambiente de trabalho deveria ser o mais sério possível. Sorrisos, risadas e piadas não eram tolerados, pois se acreditava que permitir diversão e entretenimento durante o expediente era algo prejudicial para o desempenho dos funcionários. Com o tempo e muita pesquisa, verificou-se o contrário:

Quem trabalha de forma muito séria o dia todo tendia a ficar mais estressado e ter mais desgaste físico e emocional, produzindo menos e tendo mais problemas de saúde. Por isso, ambientes profissionais extremamente sóbrios e sérios o tempo todo passaram a ser vistos com desconfiança para as empresas de maior desempenho.

Contudo, um local de trabalho não pode virar um “oba-oba”. Toda a descontração precisa acontecer de forma controlada para que o lugar de trabalhar continue seguindo as normas da empresa, o respeito a colegas e líderes. Em um lugar bagunçado, onde os profissionais só brincam, não há disciplina, hierarquia ou autoridade, e é preciso que o respeito sempre seja mantido.

Por isso, líderes, não tenham vergonha ou medo de brincar ou construir relações amigáveis com seus funcionários e subordinados, isso é uma atitude muito saudável para qualquer equipe. Contudo, lembre-se de respeitá-los e fazer com que a sua autoridade também seja respeitada. Se necessário, aplique as devidas medidas disciplinares designadas no código da empresa que dizem respeito à faltas, infrações, quebra de ordem ou falta de desempenho.

Ao mesmo tempo, também tenha a paciência e a sensibilidade de ouvir e prestar atenção às demandas das pessoas que trabalham com você. Esta é uma das melhores habilidades que um líder ou gestor pode ter: ter a percepção para tomar as atitudes necessárias – brandas ou rigorosas – no momento certo e com a devida cautela.

A boa liderança tem quatro principais habilidades: conhecimento técnico para acompanhar o trabalho de perto; intuição para sentir os movimentos do mercado ou da empresa antes mesmo que eles aconteçam; firmeza para se fazer respeitado e obedecido nos momentos necessários e sensibilidade, para conseguir ouvir seus funcionários, tomar conhecimento de suas necessidades e demandas e tomar as medidas necessárias para melhorar o ambiente organizacional como um todo.

A supervisão tem que ter um bom diálogo com seus funcionários, brincar moderadamente, mas nunca perder a sua autoridade e nunca deixar de tomar as medidas disciplinares quando preciso.

Gostou? Acesse outros de nossos conteúdos para saber mais sobre este tema!

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *