Porque é importante criar a figura do “Síndico Mirim” em Condomínios?

É função dos pais ensinar as crianças a conviver no condomínio e dentro do apartamento em que moram: respeito pelas pessoas, objetos e instalações, gentileza, conciliar as brincadeiras com exigências de silêncio, seguir regras de segurança. Que tal se os pais e o condomínio contassem com a ajuda das próprias crianças para garantir o cumprimento destas e de outras normas?

Uma boa ideia é criar a figura do síndico mirim, que pode ser acompanhado de um conselho mirim.

Eles têm atribuições idênticas às do síndico e do conselho adultos, porém são crianças falando para e em nome das crianças: fiscalizam o cumprimento das normas, intervem para resolver problemas entre si e têm lugar na assembleia dos adultos, o que possibilita que estas tenham voz ativa em questões que também dizem respeito a elas. Quando os pequenos são chamados a exercer esse papel, zelam mais pelo cumprimento das normas, diminuindo atritos com vizinhos e a frequência da aplicação de multas aos seus pais. Sentem-se mais ouvidos e respeitados, dentro de um grupo ao qual pertencem. Por consequência, deixam de ser vistas como problema pelos adultos com os quais convivem. E podem ter talentos descobertos e desenvolvidos, como liderar grupos, resolver conflitos por negociação, falar em público, preparar argumentos, promover eventos, registrar atas, ou, dependendo da idade, a atividade pode até facilitar a alfabetização, por exemplo.

Como colocar a ideia em prática

É interessante que as próprias crianças escolham o seu representante, mas decidir quem serão os candidatos pode ser prerrogativa dos adultos. O síndico profissional pode definir critérios de comportamento e selecionar os concorrentes. Também há a possibilidade de não definir candidatos: cada eleitor anota seu voto num pedaço de papel. Cada mandato dura alguns meses, menos de um ano – dois meses é um bom período. O ideal é que cada mandato esteja atrelado ao cumprimento de uma meta acordada entre a assembleia mirim e o síndico, como a obtenção de uma nova área de lazer. O síndico mirim também pode receber algum prêmio ou presente ao final da sua gestão, dependendo dos resultados alcançados.

O síndico e o conselho mirins podem ter autonomia para organizar assembleias das próprias crianças, resolver seus conflitos e representar este público nas assembleias dos adultos, levando problemas e sugerindo soluções. Além disso, estas assembleias especiais podem definir as regras de uso para áreas como a brinquedoteca, e fiscalizar o cumprimento delas, pelas outras crianças ou até pelos adultos. Cada condomínio define a abrangência das atribuições destes cargos.

Vantagens para os adultos

Dá para dizer que existe a vantagem mais óbvia e a mais importante. A primeira é que diminuem os conflitos entre gerações, muitas vezes resolvidos com aplicação de multas nos pais das crianças. Mas a vantagem mais importante é que os adultos, mirando-se no exemplo dos próprios filhos, veem-se como cidadãos que podem participar mais no cumprimento dos seus deveres e lutar pelos seus direitos, e isso os fortalece para dialogar com estes novos atores com quem convivem no condomínio, que são as crianças.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *